Da ideia ao produto, Feira fomenta soluções em saúde digital

O anúncio dos 15 projetos ganhadores do Prêmio Transformação Digital na Saúde 2023 e das 10 equipes classificadas para a próxima etapa da Hackatona SUS Digital marcou o encerramento da 6ª Feira de Soluções para a Saúde, realizada pela primeira vez em Brasília (DF), de 27 a 29 de novembro, no Millennium Convention Center. O evento foi organizado pela Fiocruz Brasília, por meio do Colaboratório de Ciência, Tecnologia, Inovação e Sociedade, em parceria com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) e patrocínio da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF). A Feira reuniu cerca de 1.500 participantes para discutir inovações em saúde digital a serviço da população. “Estamos investindo para transformar boas ideias em produtos viáveis para a promoção da saúde e o fortalecimento do SUS”, afirmou o coordenador da Feira e do Colaboratório, Wagner Martins, referindo-se, em especial, ao resultado da Hackatona, mas, também, a todos os encontros e trocas de conhecimentos e experiências proporcionados pela Feira.

A Feira foi composta por 56 soluções cadastradas no Prêmio, 29 estandes e mais de 100 atividades, entre palestras, rodas de conversa, seminários, minicursos, apresentação de pôsteres e trabalhos de conclusão de curso da Especialização em Transformação Digital na Saúde. “Foram inúmeras oportunidades de conversa, aprendizado e participação. A SES-DF precisava desse encontro para reunir os esforços dos seus trabalhadores e mobilizá-los para pensar ‘fora da caixa’ em soluções concretas que melhorem os serviços”, disse o subsecretário de Planejamento em Saúde da SES-DF, Rodrigo Vidal da Costa. “A transformação digital na saúde nos possibilidade fazer mais com os recursos finitos que temos”, acrescentou, celebrando a escolha acertada do tema da Feira.

Para Renata Vianna, à frente da Superintendência Científica, Tecnológica e de Inovação da FAP-DF, ao reunir academia, governo, setor produtivo e sociedade, a Feira promove um importante arranjo estratégico. “Nosso papel é fomentar inovações com aplicabilidade, que cheguem para a população”, destacou, sublinhando a capacidade de realização no âmbito do convênio entre FAP-DF e Fiocruz. Além da Feira e da Hackatona SUS Digital, já foram realizadas diversas iniciativas, inclusive outras maratonas de desenvolvimento.

A diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio, definiu a Feira como um sonho realizado, que se consolidou como um importante projeto institucional. “Ela é um espaço dialógico e democrático que acolhe diferentes ideias e iniciativas para, juntos, chegarmos mais longe”, afirmou. De acordo com a diretora, desde a 1ª edição, em Salvador (BA), no ano de 2017, no contexto da epidemia de zika, a Feira demonstrou seu potencial de unir os atores interessados na construção de respostas às emergências e demandas da saúde pública. Nessa trajetória, “a Feira de Soluções em Brasília representa um compromisso com o SUS no DF, em articulação com todo o país, por uma transformação digital que, de fato, promova acesso e equidade. A Feira é um sonho realizado, mas a cada edição novas sementes são plantadas”, concluiu.

Conheça os projetos ganhadores do Prêmio Transformação Digital na Saúde 2023

Leave a Reply

− 2 = 3