Fiocruz apoia campanha em territórios tradicionais

Erika Farias (CCS) e Vinicius Carvalho (OTSS)  

Arrecadar recursos para compra e distribuição de alimentos e artigos de primeira necessidade às comunidades tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba, fortemente atingidas pela Covid-19. Esse é o objetivo da campanha Cuidar é Resistir, do Fórum de Comunidades Tradicionais (FCT), que conta com o apoio da Fiocruz, lançada no início do mês. O FCT integra a Coordenação-Geral do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS) ao lado da instituição.

 “O impacto dessa crise sobre povos e comunidades tradicionais é extremamente grave e a Fiocruz se orgulha de ser parceira do Fórum na luta pela proteção destes territórios frente aos desafios da pandemia”, destaca Edmundo Gallo, pesquisador titular da Fundação e coordenador-geral do OTSS. “Precisamos apoiar as comunidades em diversas frentes: aquisição de alimentos, distribuição de material higiene, disseminação de informações confiáveis, apoio em projetos e editais de resposta à pandemia e reforço da economia solidária”, destaca Vagner do Nascimento, Coordenador do FCT e Coordenador Geral do OTSS.

A iniciativa também articula a ampliação de trocas solidárias de pescado e produtos agroecológicos entre territórios indígenas, caiçaras e quilombolas da Bocaina, fundamental neste período. Ações importantes que celebram o protagonismo das comunidades tradicionais em seus territórios e mantêm vivas as práticas dos antepassados.

Solidariedade em curso
Até o momento, a campanha Cuidar é Resistir já distribuiu cestas básicas para mais de mil famílias moradoras das regiões (Em Angra e Paraty 834, e em Ubatuba 179). Em relação aos produtos agroecológicos e de pescado provenientes dos territórios tradicionais para troca entre eles, já somam mais de 5 toneladas. Apesar dos gestos de solidariedade, diante do aumento do número de casos nessas populações, ainda não há previsão para o fim da campanha. Na Aldeia Bacuhi, território Guarani em Angra dos Reis, por exemplo, o cacique está internado em um dos hospitais do município, com Covid-19. Trinta testes foram realizados na aldeia, que conta com cerca de 400 indígenas. Quinze deram positivo. Para saber mais sobre como ajudar, acesse https://www.otss.org.br/post/fct-lanca-rede-de-solidariedade-cuidar-e-resistir

Related Posts
Leave a Reply

− 2 = 2