Fiocruz e Governo do Rio Grande do Norte buscam aproximação para a criação de Territórios Saudáveis e Sustentáveis na região

A Estratégia Fiocruz para Agenda 2030 implementada por ações de Territórios Saudáveis e Sustentáveis (TSS) pautou reunião entre a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, e a diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio, além de representantes das duas instituições, no início da tarde desta terça-feira (26/3), na unidade da Capital Federal.

A reunião teve como objetivo propor programa técnico científico no estado do Rio Grande do Norte para a criação de TSS na região. De acordo com o coordenador de Integração Estratégica da Fiocruz Brasília, Wagner Martins, a atuação da Fiocruz nos territórios tem como atores principais os movimentos sociais, para retomar a discussão da saúde enquanto vida. “Ou seja, colocar os movimentos em ação numa retomada da discussão de que as políticas públicas precisam garantir a vida. Em que pese o nosso papel na saúde ser muito grande na organização do sistema, essa dinâmica de atuação no território visa retomar a mobilização pré-Constituição pela reforma sanitária. Consideramos que a dinâmica de mobilização da sociedade em defesa da vida se perdeu ao longo desse 30 anos do SUS”, explica.

Para a diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio, “a parceria com o Rio Grande do Norte contribui para potencializar a atuação da Fiocruz no âmbito nacional, de modo a construir cooperações voltadas para o desenvolvimento de Territórios Saudáveis e Sustentáveis, melhorando, assim, a qualidade de vida da população”.

Na ocasião, a governadora do RN agradeceu a disposição da Fiocruz de incluir o Rio Grande do Norte no acordo de cooperação. “Esta é uma parceria muito importante, onde serão realizadas iniciativas em prol do desenvolvimento sustentável do estado, através do TSS, e trazendo cidadania e dignidade para nosso povo”.

Para o secretário de Assuntos Fundiários e Apoio a Reforma Agrária (Seara) do governo do Rio Grande do Norte, Alexandre Lima, o encontro proporcionou uma aproximação entre governo e Fiocruz, além da compreensão acerca dos trabalhos realizados pela Fiocruz na região do semiárido. “Percebemos que existe uma interface muito forte entre o que a gente propõe em termos de política pública no RN com o que é feito pela Fiocruz”, disse. “Saímos dessa reunião com uma agenda no estado para o mês de maio e, a partir de um processo de diálogo com os movimentos sociais e com os demais setores do governo, estabeleceremos linhas prioritárias de atuação, mas já tendo como indicação que a agroecologia e a produção de alimentos saudáveis poderão vir a ser os temas geradores e que nortearão a parceria do governo com a Fiocruz no Rio Grande do Norte”.

Sobre a aproximação com a Fiocruz, Lima enfatizou: “A Fiocruz é fundamental para que o estado possa avançar para melhorar os índices de saúde e a condição de vida da população”. Para o secretário, a proximidade entre as duas instituições é estratégica. “Na medida em que o Estado e o governo do RN se propõem a construir um conjunto de políticas que dialoguem com a produção de alimentos saudáveis e que tenham o viés da saúde pública como central, ter essa aproximação com uma instituição que tem um reconhecimento nacional é muito estratégico”, detalhou.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, sinalizou a concretização da cooperação com o Rio Grande do Norte a partir do avanço das discussões. Na ocasião, destacou ainda o trabalho desempenhado pela instituição acerca dos TSS, e o lançamento da Série Fiocruz – Documentos Institucionais: Coleção Saúde, Ambiente e Sustentabilidade no último dia 27, na Fiocruz Brasília. Ao entregar um exemplar para a governadora, Nísia enfatizou que a Coleção é “um conjunto de publicações muito interessante, uma coleção sobre toda essa relação no campo da saúde e meio ambiente. A Fiocruz, desde antes da Rio 92, faz esse trabalho de forma articulada, e essa publicação é uma forma de sistematizar todo esse esforço institucional”.

TSS
A apresentação sobre a atuação da Fiocruz nos TSS foi conduzida por Jorge Machado, coordenador do Programa de Saúde, Ambiente e Trabalho da Fiocruz Brasília (PSAT). Entre outros aspectos, o pesquisador destacou a inserção dos Territórios Saudáveis e Sustentáveis na Agenda 2030 e como linha estratégica do plano quadrienal da Fiocruz (2020/2023). Os Territórios Saudáveis e Sustentáveis definem-se como espaços relacionais e de pertencimento, onde a vida saudável é viabilizada por meio de ações comunitárias e de políticas públicas, que interagem entre si e se materializam, ao longo do tempo, em resultados que visam a atingir o desenvolvimento global, regional e local, em suas dimensões ambientais, culturais, econômicas, políticas e sociais. Entre as linhas de ações e eixos estruturantes, estão formação, informação, governança local e ação local/territorial. O encontro contou ainda com a participação de André Fenner, também coordenador do PSAT, e do assessor da Fiocruz Brasilia, Swedenberger Barbosa.

Posts Relacionados